"Toca" - 2004 /2006

 

Espetáculo Solo de dança contemporânea     /       Concepção, Criação e Interpretação: Luciana Bortoletto

Direção: Letícia Sekito /Voz (ao vivo): Mônica Galvão

 

 

 “Toca” faz uma analogia entre Corpo e Casa. Espaços habitados e preenchidos por memórias e imagens. Em ambos lugares (corpo e casa) podemos nos refugiar, nos proteger ou nos entocar, saindo de uma realidade e imergindo em outra(s), mais íntimas.
Em Toca investiga-se a transformação de imagens relembradas em movimento dançado, e busca inspiração em recordações e sensações que compõem a infância da intérprete-criadora, gerando em seu corpo estados diversos, tecendo uma relação poética entre a concretude inerente ao corpo e a subjetividade do imaginário e da memória. Durante o processo criativo de Toca, tem-se estudado o texto “A Casa. Do porão ao Sótão. O sentido da Cabana”, extraído do livro “A Poética do Espaço” do filósofo Gaston Bachelard, que se tornou uma referência para a criação coreográfica. Também participa do processo criativo a pesquisa de linguagem “dança-haicai”, investigando os estados da poética haikai: concisão, sinceridade, instantaneidade, simplicidade, contradição, ruptura, sua transposição para o corpo e sua transformação em estrutura coreográfica.

A formação em dança contemporânea baseada na educação somática (coordenação motora M.M. Béziers, respiração pela sola dos pés e pensamento Nova Dança) foi essencial no desenvolvimento da corporalidade e na estética do trabalho. A consciência corporal amplia a percepção promovendo a conexão de mente e corpo. Isso nos permite fazer uma síntese associativa entre o estudo da coordenação motora e o potencial poético, valorizando as singularidades e a multiplicidade que caracterizam a estética contemporânea


 

foto: Gil Grossi